Por dentro do setor vitícola

16/11/2018

PRÉ-LANÇAMENTO DA TECNOVITIS 2019

No dia 27 de setembro de 2018, na feira internacional do vinho, Wine South America, o Sindicato Rural da Serra Gaúcha promoveu o pré-lançamento da feira Tecnovitis 2019 – Feira de Tecnologia para Viticultura. 

A 3ª edição já tem data para acontecer, de 4 a 6 de dezembro do próximo ano, na comunidade do 8 da Graciema, no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves.

No evento foi apresentado o vídeo de apresentação da 3ª edição da feira e também foi apresentado a nova planta baixa.

A solenidade de lançamento teve além da mensagem do presidente Elson Schneider, a presença de dirigentes do setor, representantes de entidades parceiras como Emater/RS, Embrapa Uva e Vinho, Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), IFRS (Instituto Federal do Rio Grande do Sul), bem como representantes de Prefeituras da região.

 

Fonte: Rádio Difusora

3/12/2017

IBRAVIN terá intensa atuação na 2ª ed. da feira Tecnovitis

O maior encontro de produtores de uvas do país, em sua 2ª edição acontece de 06 a 08 de dezembro, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves – RS

 

A Tecnovitis 2017 - Feira de Tecnologia para a Viticultura – em sua segunda edição tem o objetivo principal de aprimorar as práticas e métodos do produtor de uvas e estimular o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva. Neste mesmo âmbito trabalha o Ibravin, entidade que reúne na mesma mesa os representantes da indústria, dos viticultores e das cooperativas, atua como um elo entre os atores desta cadeia produtiva.

Entre as ações que podemos destacar estão a gestão do Cadastro Vitivinícola, a articulação e intermediação junto ao governo para o cumprimento da política de preço mínimo, o gerenciamento do Programa Alimento Seguro (PAS) Uva para Processamento – que tem contribuído para a qualificação e, consequentemente, melhor remuneração pela matéria-prima. Também podemos destacar o trabalho que vem sendo desenvolvido, em conjunto com a Emater, Embrapa, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi/RS) para a regularização do vinho colonial, medida que beneficiará centenas de produtores de uva que elaboram até 20 mil litros por ano, que poderão comercializar a produção apenas com o talão de produtor, sem a necessidade de abrir empresa, na propriedade ou em feiras da agricultura familiar. Os primeiros registros já estão encaminhados e temos a convicção de que esta regularização vai ampliar a renda das famílias produtoras e também qualificar a produção de vinho colonial.

Na feira, o Ibravin apresentará ao público visitante o trabalho que é desenvolvido pelas diferentes áreas da entidade. Desde a promoção do vinho brasileiro nos mercados interno e externo, a articulação política e institucional, as consultorias jurídicas, a atuação dos diferentes comitês, incluindo os de Mercado, de Enologia, de Enoturismo e das Indicações Geográficas. Visando a qualificação da produção, apresentará os requisitos legais para construção de depósito de agrotóxicos na propriedade rural, tema tratado no Programa PAS – Uva para Processamento e que preocupa os produtores. Também serão abordados outros itens das Boas Práticas Agrícolas (BPA), como o manejo da água, a localização e implantação do parreiral, a segurança do trabalhador e até mesmo as condições ideais para o transporte da produção e as formas adequadas de manejo durante a colheita.

O Presidente da entidade, Dirceu Scottá, fala sobre as expectativas no evento. “A nossa expectativa é de atingirmos o maior número possível de viticultores, de vinicultores e também de representantes de entidades, sindicatos e outras instituições que acabam sendo agentes de disseminação de informação com seus associados. Vamos aproveitar a visibilidade da feira para, em conjunto com a Embrapa, lançarmos uma cartilha que abordará de forma específica a melhor maneira de armazenar os agrotóxicos e outros insumos. Nesta segunda edição certamente vamos consolidar esta feira como uma referência do setor na busca por maior tecnologia na viticultura, com apoio da Seapi”, diz Scottá. Os visitantes poderão conferir o Depósito Modelo de Defensivos Agrícolas no evento, antes de acessar o Parreiral Demonstrativo. O presidente complementa que a Tecnovitis é uma oportunidade de acesso as novas tecnologias, às pesquisas que visam a melhoria da matéria-prima e, consequentemente, dos produtos.

 

Fonte: Cassiano Farina

3/12/2017

Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária da Seapi participa da Tecnovitis 2017

Evento ocorrerá em Bento Gonçalves de 6 a 8 de dezembro

 

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), por meio do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA), apoia e participa, de 6 a 8 de dezembro, da segunda edição da Tecnovitis - Feira de Tecnologia para a Viticultura -, que ocorre no Vale dos Vinhedos (Comunidade 8 da Graciema), em Bento Gonçalves (RS). O objetivo principal é aprimorar as práticas e os métodos do produtor de uvas e estimular o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva. O público estimado é de 15 mil visitantes. Assim como fez no lançamento oficial da feira no Palácio Piratini, o secretário Ernani Polo prestigiará o evento.

 

Outras finalidades do evento são impulsionar o crescimento qualitativo e quantitativo do setor, incentivando a melhoria dos padrões de qualidade dos produtos vitivinícolas e favorecendo a ampliação de mercado.  

O Centro de Pesquisa Celeste Gobbato do DDPA, em Caxias do Sul, tem longo histórico de atuação no setor vitícola, trabalhando no desenvolvimento de pesquisas que visam a aprimorar as técnicas de cultivo da uva. Conforme a pesquisadora Daiane Lattuada, estão em desenvolvimento no Centro, atualmente, as seguintes linhas de pesquisa: diagnóstico do manejo fitossanitário de videiras sob cobertura plástica; coleção de videiras ‘Bordô’; influência da poda antecipada no desempenho da videira ‘Isabel’; desfolha precoce em videira ‘Bordô’; óleos essenciais no controle alternativo de doenças de videiras; limpeza clonal e resgate do material genético da coleção de videiras da unidade; adaptação de porta-enxertos de videira resistentes ao declínio.

 

Conforme Daiane, além das atividades de pesquisa, o Centro oferece cursos teórico-práticos em agroindústria e, atendendo diretamente ao setor vitícola, pode-se encontrar os cursos de vinificação e poda de videiras. Durante a Tecnovitis, o Centro de Pesquisa Celeste Gobbato irá apresentar resultados das pesquisas desenvolvidas na unidade, especialmente sobre o cultivo da uva coberta, sistemas de condução, manejo do dossel vegetativo, resgate e limpeza clonal de material genético (variedades Copa e Porta-enxerto) e sistemas de condução.

“Ainda será divulgado o calendário de cursos do Centro de Formação de Agricultores de Fazenda Souza para 2018. Durante todo o evento nossos pesquisadores e técnicos atenderão ao público, demonstrando, através de material didático e do vinhedo modelo, as técnicas mais recomendadas para o cultivo da uva nesta região”, explica Daiane.

 

A pesquisadora espera, através do evento, ampliar a divulgação das atividades e dos resultados da pesquisa científica realizadas por esta entidade, alcançando público de diversas regiões do Estado, contribuindo de maneira efetiva para o desenvolvimento do setor e beneficiando diretamente os viticultores. “Buscamos, ainda, a promoção das atividades de pesquisa e capacitação do Centro de Pesquisa Celeste Gobbato, bem como do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária”.

 

Fonte: Darlene Silveira

1 / 4

Please reload

Realização e Promoção: Sindicato Rural da Serra Gaúcha

(54) 3702 2217 (54) 3702 2216